To read the full version of this content please select one of the options below:

Naive portfolios, Brazilian stock funds, and individual investors

Alexandre Carneiro (The COPPEAD Graduate School of Business, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil)
Ricardo Leal (The COPPEAD Graduate School of Business, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil)

Academia Revista Latinoamericana de Administración

ISSN: 1012-8255

Article publication date: 7 August 2017

Abstract

Purpose

The purpose of this paper is to contrast three investment choices within the reach of individual investors: naive portfolios of Brazilian stocks; actively managed stock funds; and the Ibovespa index, which represents passive management as well as to offer insights on the performance of professional asset managers in this large emerging market.

Design/methodology/approach

Equally weighted portfolios contained between 5 and 30 stocks to keep transaction costs low. Stock selection used the Ibovespa constituents and considered value (dividend yield (DY) and price-to-book ratio), momentum (past returns), and liquidity, as well as the Sharpe ratio (SR) over the 2003-2012 period, rebalancing three times a year.

Findings

Cumulative returns of naive portfolios are large. They frequently outperform the index for all values of n. They also outperform stock funds, particularly when the invested amount exceeds US$25,000, due to transaction costs. Yet, expected out-of-sample SRs corrected for errors in estimates are very low, suggesting that one should not count on this historical performance in the future. Naive portfolios may simply be more exposed to additional value, size, and momentum risks. Results are sensitive to time period selection.

Practical implications

Naive portfolios may be attractive to individual investors in Brazil relative to stock funds, which seem to strive to keep volatility low and may be better when the investment amount is low. There may be merit for value or momentum stock selection strategies when forming small equally weighted portfolios.

Originality/value

The paper contrasts realistic stock investing alternatives for individuals, it provides a view of stock fund performance in Brazil, and offers practical implications that may be pertinent in other emerging stock markets.

Objetivo

Contrastar três opções de investimento ao alcance de investidores individuais: carteiras ingênuas de ações brasileiras; fundos de ações de gestão ativa; e o índice Ibovespa, que representa a gestão passiva. Oferecer informações sobre o desempenho de gestores de ativos profissionais neste grande mercado emergente.

Método

As carteiras igualmente ponderadas continham entre 5 e 30 ações para manter os custos de transação baixos. A seleção de ações utilizou os componentes do Ibovespa e considerou o valor (rendimento de dividendos e relação preço/valor patrimonial), momentum (retornos passados) e liquidez, bem como o Índice de Sharpe no período 2003-2012, rebalanceando três vezes ao ano.

Resultados

Os retornos acumulados de carteiras ingênuas são grandes. Eles frequentemente superam o índice para todos os valores de N. Eles também superam os fundos de ações, particularmente quando o montante investido excede US$ 25,000, devido aos custos de transação. Contudo, os Índices de Sharpe esperados fora de amostra corrigidos por erros nas estimativas são muito baixos, sugerindo que não se deve contar com este desempenho histórico no futuro. As carteiras ingênuas podem simplesmente estar mais expostas a fatores riscos adicionais, tal como os de valor, tamanho e momentum. Os resultados são sensíveis à seleção do período de tempo.

Implicações práticas

As carteiras ingênuas podem ser atrativas para os investidores individuais no Brasil em relação aos fundos de ações, que parecem se esforçar para manter a volatilidade baixa e podem ser melhores quando o valor do investimento é baixo. Pode haver mérito para estratégias de seleção de ações de valor ou momentum ao formar carteiras igualmente ponderadas pequenas.

Originalidade/valor

O artigo contrasta alternativas realistas de investimento em ações para indivíduos, oferece uma visão do desempenho dos fundos de ações no Brasil e oferece implicações práticas que podem ser pertinentes em outros mercados emergentes.

Keywords

Acknowledgements

The authors thank the anonymous reviewer and the editor, Carlos Pombo, for very useful suggestions that improved this paper.

Citation

Carneiro, A. and Leal, R. (2017), "Naive portfolios, Brazilian stock funds, and individual investors", Academia Revista Latinoamericana de Administración, Vol. 30 No. 3, pp. 383-401. https://doi.org/10.1108/ARLA-08-2016-0217

Publisher

:

Emerald Publishing Limited

Copyright © 2017, Emerald Publishing Limited